domingo, 11 de fevereiro de 2018

"Meu mar"

Apoia-te em meu dorso!
Remorso que me é cratera,
Esfera que que te fez poço.
Esforço, d'um amor que esmera!

Empenha-te em ir em frente,
Carente e saudosa criatura.
Ternura que me diz somente:
- Tente afastar-se da loucura!

Salva-te destes dias ruidosos,
Duvidosos que tristes lhes serão,
Farão da tua fraqueza, seus sinos
Abismos que em ti nascerão.

Navega-me sem bússola, te digo
Amigo e marido sou eu,
Teu barco á deriva, comigo,
Perdido em meu peito ateu.

Afoga-te, assim, em minha alma,
Calmas águas puras d'além suicídio
Prelúdio do que chamo vida...
Partilha do que chamarei mundo!
Autor: Bruce Will Pereria
© COPYRIGHT BY "RECANTO DA POESIA"
Todos os Direitos Reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)
Cópias e publicações permitidas, 
desde que acompanhadas 
dos créditos ao autor