segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

DESEJO

Te imagino agora...
Com aquele corpo suado.
Deitado de tanto prazer.
Em que me fez mulher de verdade
Nosso prazer é único,
É fogo, desejo, loucuras...
Não tem hora, não tem lugar,
Apenas o desejo que nos consome.
E meu corpo gemendo de prazer
Olhos que brilham boca seca.
Respiração ofegante, coração a mil.
Uma sensação gostosa...
Que vai chegando devagar
Em movimentos você me sente e não para...
Até ao êxtase chegar.
Me olha profundamente
Sem falar nada,
Porém sei o que quer dizer.
Ai me pega com calma me deita
Em teus braços
Passando as mãos em meus 
cabelos molhados e me abraça.
Me sinto como se o tempo parasse,
neste amor neste querer neste prazer. 
Autora: Flávia Guimarães 
© COPYRIGHT BY "RECANTO DA POESIA"
Todos os Direitos Reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)
Cópias e publicações permitidas, 
desde que acompanhadas 
dos créditos ao autor